Caminhada da Juventude Parte II


Continuando nossa série de reportagens sobre a caminhada da juventude, hoje falaremos acerca da celebração inicial no Cocal do Atalaia, o dia penitencial e a gincana da juventude

No fim do primeiro dia de acampamento, dedicado principalmente ao descanso após uma noite toda de caminhada, por aproximadamente 30 km, foi presidida pelo bispo a primeira missa no acampamento do Cocal do Atalaia.

Na missa, alguns jovens partilharam de seus testemunhos, e pela primeira vez padre Sávio falou aos jovens. O assessor nacional para a juventude da CNBB foi bastante aplaudido, e dali se iniciaria uma parceria que seguiria até a missa de encerramento, no domingo.

A missa foi muito bem participada, e nela foi inaugurado o mural, ao lado do palco da tenda da juventude, que teria as palavras-chave para cada dia do acampamento. Nesta missa, foram apresentadas as palavras “caminhante”, “peixe” e “pescador”, e o bispo falou sobre elas.

Na sexta pela manhã, aconteceu a celebração penitencial, presidida pelo monsenhor Gabriel. Em sua homilia, ele falou da alegria do perdão [fala do monsenhor]. Ainda durante a celebração, começaram a chegar padres vindos de diversas paróquias da diocese e outros convidados para receber as confissões. Na manhã da sexta, o grande sentido era entrar mais ainda em sintonia com Deus, recebendo o sacramento da confissão.

Após a celebração, o padre Sávio iniciou uma palestra sobre o uso das redes sociais na evangelização. Com momentos de intervalo para partilhar ou discutir alguns pontos, foi uma palestra bastante dinâmica, e os jovens puderam refletir sobre o que significava compartilhar a alegria do Evangelho nas redes sociais. No fim da manhã, um tempo dedicado a dúvidas e perguntas para o padre Sávio, onde os jovens puderam esclarecer mais alguns pontos.

Sexta à tarde, foi um momento de animação – gincana, louvor, banho de mangueira com o caminhão do corpo de bombeiros e a foto oficial. Se ainda havia algum vestígio de cansaço, foi completamente dissipado nesta tarde: os jovens correram, brincaram, cantaram, se refrescaram e principalmente quem estava vivendo o acampamento pela primeira vez, experimentou profundamente uma alegria santa.

Na missa que encerrou o dia, a alegria de ter vivido mais um dia de acampamento e um convite provocante: sair em missão pelas ruas de Salinópolis, em grupos, levando a alegria do Evangelho a quem se encontrasse, em visitas, nas ruas, para pessoas que já tem uma vida nas comunidades eclesiais, irmãos de outras religiões, ou quem ainda não conhecia quase nada do Evangelho.

Para muitos jovens, a despeito da timidez e das diferentes recepções, as mais ternas e as mais indiferentes, aquele momento não se encerrou ali – foi uma experiência ase guardar para a vida toda. Conversamos com alguns deles sobre este dia de missão.

Que experiência bonita estes jovens viveram, e que bom nós podermos acompanhar um pouco o cotidiano do acampamento da juventude de nossa diocese.


8 visualizações