Mensagem de Natal de Dom Carlos Verzeletti


Caros irmãos e irmãs,

Enquanto nós desconfiamos tanto uns dos outros, Deus no seu Natal, confiando-nos o seu Filho, demonstra uma desmedida e inexplicável confiança conosco. Como se entregou nas mãos de uma mulher e confiou nela, assim hoje se entrega nas minhas e nas tuas mãos para que cuidemos dele como uma mãe cuida do seu filho

O recém-nascido de Belém, para viver e crescer precisou ser alimentado com o leite, as carícias e os sonhos de Maria. Da mesma forma Deus hoje vive em nossa família, no nosso bairro e comunidade, no campo ou na cidade e em qualquer canto deste mundo, se cuidarmos dele, se o ajudarmos a encarnar-se.

Fixemos nosso olhar no recém-nascido de Belém e creiamos, sem muito entender, que nele “o Verbo se fez carne”.

Vejo a sua pequena boca que procura o leite da mãe e digo: o Verbo se fez fome.

Não vejo os anjos, mas uma adolescente inexperiente e generosa que cuida dele e digo: o Verbo se fez necessidade.

Penso nos abraços que Jesus recebeu e depois restituiu aos amigos e às crianças e digo: o Verbo se fez carícia.

Penso no pranto de Jesus diante do túmulo do amigo Lázaro, e digo: o Verbo se fez lágrimas.

Penso na cruz, e digo: o Verbo se fez cordeiro e carne onde grita a dor, cordeiro que mais tarde conhecerá a morte.

Meus caros irmãos e irmãs, vamos com os pastores a Belém para encontrar Maria e José e o recém-nascido, deitado na manjedoura. Olhemos para Ele: os seus olhos são os olhos de Deus, a sua fome é a fome de Deus, as suas mãozinhas, que se estendem para a mãe, são as mãos de Deus, são as mãos de Deus estendidas para nós. As mãos de Deus estendidas para nós são:

- as mãos inocentes das crianças que precisam sobretudo do carinho e atenção de seus pais,

- as mãos desprezadas dos últimos que anseiam ser acolhidos e incluídos,

- as mãos vazias dos pais desempregados que não têm o que dar de comer para os seus filhos,

- as mãos cansadas dos idosos que esperam alguém que lhes faça companhia,

- as mãos insistentes dos adolescentes e jovens que buscam o sentido da vida e cobram de nós adultos autenticidade,

- as mãos chagadas dos dependentes de todas as drogas que imploram por libertação,

- as mãos fechadas dos que necessitam ser perdoados e perdoar,

- as mãos entrelaçadas dos casais que no abraço manifestam seu amor...

Quem abre suas mãos às mãos estendidas de Deus, se torna berço dele, lugar onde Ele continua a se encarnar.

É ao redor daquele berço, daquela manjedoura, que o mundo muda de direção, que eu e você conseguimos vida nova.

Deus entra no mundo a partir do ponto mais baixo para que ninguém fique mais abaixo, e ninguém sinta-se excluído do seu abraço.

Agora entendo: Deus se fez homem para que o homem se faça Deus.

Cristo nasce para que eu nasça, nasça de novo, cheio do Espírito de Deus.

Que o Natal e o Ano Novo que se aproximam, sejam portadores de muitas graças e bênçãos para você e toda a sua família. “Um Santo Natal e um Ano repleto de paz.”

+Dom Carlos Verzeletti

Bispo Diocesano de Castanhal - Pará


25 visualizações