Visita Pastoral a Santa Maria do Pará


Plantadas nas matas amazônicas, sob a influência dos trilhos da via férrea Belém-Bragança, Santa Maria é lugar de irmãos que chegaram de todas as partes e que, acolhidos pelos nativos da região bragantina, firmaram pé na confluência de rotas que partem para o nordeste e para o centro-sul do Brasil. Ao longo dessas estradas, esse processo de colonização ergueu-se, sem dúvidas, sob a proteção de Maria:Santa Maria do Pará.

Nessas terras, regadas pela devoção à Mãe de Deus, passou Dom Carlos Verzeletti, Bispo da Diocese de Castanhal, na sua III Visita Pastoral. A importância dessa Visita se traduz no encontro do pastor com o seu povo, pois, na tradição da Igreja é acontecimento que remete à missão dos Apóstolos, quando se lançavam a caminho, ao encontro das primeiras comunidades cristãs, muitas delas fundadas por eles.

Com a Missa de abertura, no domingo, dia 22 de setembro, o Bispo começava sua caminhada. Percorreu quilômetros; chegou às Comunidades e encontrou os irmãos. Com eles vivenciou as suas realidades de vida e de oração. Afinal, sua presença de pastor, amigo, evangelizador, a mensagem de um humilde servo, uma identidade de homem de Deus foi sendo recebida nos setores da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, onde estão centenas de Pequenas Comunidades, comunidades estas que levam o nome de Santos da Igreja: sinal que a Fé no Ressuscitado brota como Igreja que se aproxima, escuta e Ilumina.

Sempre acolhido com alegria, respeito e amor , Dom Carlos saúda, abraça, dirigi olhares, abençoa e, na despedida, o convite à fotografia: registro que vai não só no coração do pastor ,mas, também, no coração de sua gente. Enfim, a semana da Visita Pastoral, é marca profética, ação de graças, vida celebrativa, que se estende da realidade ao altar, da oferenda à partilha: uma atitude de missão, e o Bispo faz história da Igreja neste canto do Pará.

Na programação, além das visitas às comunidades e das celebrações , Dom Carlos reuniu com as Equipes Pastorais, Catequistas, Animadores das Pequenas Comunidades, os Jovens, os Casais , sempre na companhia do Padre Ermínio Arbítrio, o Pároco. Nas suas palavras, sempre o incentivo com um diálogo aberto e claro.

Na missa de encerramento, no domingo 29, horas antes de partir para o grande acontecimento da Igreja: o Sínodo para a Amazônia, Dom Carlos declarou que estava com o coração cheio de alegria e esperança, vendo o belo trabalho que se realiza nas Comunidades, de modo especial, pelas sementes lançadas nas Pequenas Comunidades, que estão se multiplicando e reunindo os cristãos ao redor da Palavra, com o compromisso de viver o mandamento do Amor, partilhando experiências de Deus com outros irmãos. Falou do trabalho incansável do Padre Ermínio, que motiva e acompanha a todos, fazendo as pessoas crescerem na Fé e trilharem o caminho da santidade. Reconheceu que tem muito a ser feito, mas não se pode negar que a Paróquia de Santa Maria está num belo processo de mudança, crescimento e de comunhão profunda. Disse da convocação dos Bispos, pelo Papa Francisco, para o Sínodo dos Bispos da Pan - Amazônia, que tem como tema: Amazônia: Novos caminhos para a Igreja e para uma Ecologia Integral. “Será uma reflexão, principalmente, sobre o processo de conversão pastoral que a Igreja deve vivenciar, sem perder as raízes de identidade da Amazônia, com um rosto amazônico, mais presente na vida das pessoas. Isso envolve, também, a questão dos ministérios, o protagonismo das mulheres. Queremos, também, que nas comunidades haja um defensor da Casa Comum, que se preocupe com as nossas realidades, com a destruição que precisa ser detida para o bem de todos. Penso que, sem a graça do Espírito, não conseguiremos nada. Então, que todos possam acompanhar , ao longo do mês de outubro, com suas orações, invocando o Espírito de Jesus sobre o Papa e sobre os Bispos.

Deus abençoe a Paróquia de Santa Maria do Pará”.

Texto: Vânia Sagresti /Pascom Diocese de Castanhal

Foto e informações de Magno Rayol /Pascom Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora


36 visualizações