SACERDOTES: Retiro, oração e meditação em Castanhal


A temática principal que norteou o retiro realizado na última quinta-feira 19, foram as periferias destacadas pelo evangelista Lucas. Nas páginas do chamado “evangelho da misericórdia”, Jesus aparece nos últimos lugares e para os últimos, os que estão às margens. São Lucas usa de linguagem simbólica para representar a missão de Jesus que veio “para anunciar a Boa-Nova aos pobres, para sarar os contritos de coração, para anunciar aos cativos a redenção, aos cegos a restauração da vista, para pôr em liberdade os cativos, para publicar o ano da graça do Senhor” (Cf. Lc 4,18-19)

Frei Luiz Spelghatti , pároco de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Capanema, foi o pregador do retiro, trazendo uma profunda reflexão em chave de conversão pastoral. São leituras que aproximam do Natal, quando Jesus nasce na periferia da Judéia, em Belém, mostrando a ação de Deus que começa na periferia: Israel como periferia do Império Romano, Belém como periferia da Judeia.

A reflexão proposta alcança o tema do ano de Pastoral da Diocese: “Uma Igreja que se aproxima, escuta e ilumina, as famílias, os jovens e as periferias” e do ano litúrgico que encerrou em novembro, ano C, cujo evangelista largamente lido foi exatamente São Lucas. Os questionamentos que surgem alcançam toda a Igreja. Onde nós estamos, como corpo místico de Cristo: no centro, autorreferenciando-se; ou nas periferias, buscando os últimos, como escolheu fazer nosso Mestre e Senhor Jesus Cristo?

O retiro como de costume se deu no Cenóbio da Transfiguração.

Foto utilizada de arquivos da Diocese.


26 visualizações