Agrov. SANTA TEREZINHA: Consciência ecológica, ação e oração


Domingo, festa do Batismo do Senhor, conclusão do tempo do Natal. Na paróquia de São Paulo VI, na agrovila de Santa Teresinha, a comunidade se reúne para iniciar um dia peculiar, a começar pelo local da celebração: saíram da capela e foram celebrar às margens do igarapé; também foi a celebração do batismo de duas novas filhas da Igreja; e depois porque foi um domingo ecológico dedicado à limpeza do Rio Marapanim, que passa ao longo da Vila.


Inspirados pela Laudato Si e pelo Sínodo da Amazônia, os jovens do grupo MOJOST em comunhão com o pároco, pe. Paulo Victor, planejaram uma ação ecológica que conscientizasse, sobretudo às novas gerações, de que é necessário preservar o dom de Deus que é o rio, que de certa forma, sustenta a vida e faz parte da história da comunidade.


Seja por dentro ou por fora do igarapé, os jovens seguiram, após a santa missa, pelo curso das águas recolhendo o lixo. À primeira vista, parecia pouco lixo, mas continuando o percurso e com o olhar minucioso dos jovens, que não deixavam escapar nada, foram recolhidos vários sacos cheios de lixo. Especialmente neste período de chuva, a água que escorre pelas ruas da vila traz também aquele saquinho plástico, aquela garrafa pet, a latinha de refrigerante, que terminam sujando o rio.


O momento era de muito compromisso e empenho, mas era também de lazer e descontração. Com a juventude tudo vira motivo de festejar e oportunidade de aprender e crescer na fé. Afinal, os hábitos e práticas dos cristãos estão diretamente ligados à fé que professam. Após o percurso planejado, tendo recolhido todo lixo, pe Paulo fez uma pequena catequese para os jovens e um momento de oração comunitária, sinal da comunhão entre fé e obras.


Por Luciano Tiago

61 visualizações