Diocese se mobiliza contra a covid-19


A Diocese de Castanhal, desde a chegada da pandemia no Brasil e o seu crescente aumento do número de casos, por meio de orientações e decretos expedidos pelo Bispo Dom Carlos, em comunhão com a Igreja do Brasil, suspendeu todas as celebrações presenciais e encontros de grupos numerosos, entre outras atividades, para que as pessoas não corressem o risco de se contaminarem comunitariamente.


É importante destacar isto para presentar uma preocupação que existe da parte de Dom Carlos, dos padres e de toda a Igreja desde o início, ao combate à covid-19.

Mesmo diante de todas essas determinações, a Igreja não vê ainda como suficiente, pois é um órgão que está diretamente mais próximo das pessoas carentes de todas as cidades e dos bairros, e, sabedora dos tantos casos doloridos que afrontam algumas famílias que não possuem condições nenhuma, e que a situação se agravou muito mais agora com a evolução dos contágios, qual força o distanciamento social, essas pessoas mais necessitadas foram também de certa forma esquecidas.


A Igreja é um órgão que vive e se move pela caridade, a Igreja é feita de pessoas e por isso, neste momento, motiva cada um a colocar-se exatamente como pessoa e como Igreja para ajudar seus irmãos, este é o verdadeiro sentido de Igreja, de irmãos que se ajudam. Dom Carlos Verzeletti, já desde a semana passada vem se reunindo com padres, o Conselho Diocesano, entre outros membros como a comunicação, para discutir uma maneira viável e inteligente para ajudar os mais necessitados. Depois de alguns encontros teve como resultado a criação do Fundo Diocesano de Solidariedade.


O Fundo Diocesano abrangerá muitas atividades e iniciativas, algumas delas já podemos citar, como a arrecadação de alimentos que já acontecerá neste sábado 18 e domingo 19 de abril. O fundo começou com doações em valores do próprio bispo e dos padres da Diocese, além de outras doações realizadas por leigos, mesmo que os algarismos cresçam, ainda é pouco, não sendo suficiente por exemplo para a compra de sabão, produto muito necessário nas cestas que serão doadas, e a compra de tecidos para a confecção de máscaras reutilizáveis, costuradas por voluntários nas paróquias que serão distribuídas também à pessoas carentes.


64 visualizações