Assembleia Diocesana 2014 - algumas considerações

24/11/2014

A 3a Assembleia Diocesana terminou, mas foi festejada pelo sucesso, aceitação e envolvimento total dos participantes, que durante três dias não mediram esforços para contribuir e somar nas decisões lá tomadas.

 

A Assembleia Diocesana aconteceu nos dias 20, 21 e 22 de novembro de 2014. Está em sua terceira edição e tem melhorado muito quanto participação e contribuição, segundo os próprios participantes que avaliaram a Assembleia na tarde do sábado 22.

 

Padres, religiosos, religiosas e leigos foram contundentes em suas colocações, fazendo as emendas e defendendo-as para que fossem aceitas ou descartadas. Jovens também participaram e não ficaram de fora quanto às propostas para os próximos cinco anos de pastoral na diocese.

 

A plenária começava sempre muito cedo e se estendia por todo o dia, aproveitando de todo o espaço, visto que algumas discussões alongavam determinadas apresentações.

 

O foco de tudo eram as determinações e decisões por parte da assembleia.

 

Duas urgências foram apresentadas ainda no primeiro dia, uma na tarde de quinta e outra a noite. Estas primeiras tinham como meta a Igreja em estado permanente de missão e iniciação cristã. Dentro dessas duas, as pessoas presentes puderam avaliar seus trabalhos particulares de pastorais através de testemunhos e experiências apresentados mediante aquilo já havia sido exposto.

 

Na sexta-feira, segundo dia de Assembleia, as atenções se voltaram para a Animação Bíblica, um dos principais pontos priorizado pela Diocese de Castanhal pelo fato de fazer centro a Palavra de Deus, em especial a introdução da Lectio Divina em todos os grupos e comunidades, assunto que arrasta a quarta urgência; Paróquia: Comunidade de Comunidades, provocando nos participantes o compromisso que a Igreja de Castanhal em comunhão com a do mundo inteiro, a partir de agora formar pequenas comunidades nas paróquias e comunidades.

 

Uma das sugestões geradas na assembleia e adotada pelo Bispo Dom Carlos que esteve presente e acompanhando os trabalhos durante os três dias, é que a cada grupo da Lectio seja formada uma pequenina comunidade.

 

A partir daí a Assembleia se encaminhou para a 5a e última Urgência, Vida Plena para todos, abordando assuntos que partem da caridade realizada em centenas de práticas pelas paróquias e pastorais, concretizando a solidariedade. Pe Carlinhos abriu um questionamento a fim de que buscássemos saber qual o percental de compromisso do estado com o social para que a Igreja não cumpra sozinha este papel se é dever do estado.

 

No sábado foi a vez de os participantes intervirem mais diretamente nas decisões da Assembleia e criarem um norte através de tudo que se havia estudado nas apresentações. Dois pontos foram levados muito em questão: a Palavra através da prática e incentivo da Lectio Divina e pequenas comunidades, aproveitando desses grupos para se atingir a meta.

 

Erasmo de Abreu

Please reload