Pastoral Familiar Realiza Encontro Diocesano

 

O Centro de Formação da Diocese de Castanhal, Cenóbio da Transfiguração, sediou no último final de semana o 1º  Encontro da Pastoral Familiar Diocesana do ano 2018, com o tema: “Leigos e leigas, pela vivência do Batismo, Cristãos Testemunhas, Sal da Terra e Luz do Mundo”.

 

Na sexta-feira, dia 17, ao som da viola  do compositor e vocalista Elias Nascimento, que é da Paróquia Cristo Rei e  autor, inclusive, do canto que animou todo o encontro,  os casais das diversas paróquias da Diocese , alguns deles trazendo seus filhos menores, chegavam   e eram acolhidos pelo ensaio musical e pelo casal Diácono Gilvan e Cilene, que são  coordenadores dessa Pastoral.

 

Logo no início da noite, algumas dinâmicas de interação foram se transformando em momentos de oração, já introduzindo o tema a ser estudado. Os símbolos:  sal  e   vela acesa (luz),  postos sobre a mesa , logo foram explicados e mostrados   como fazem a diferença na vida cotidiana  segundo o Evangelho: Mt.  5,13-14.

 

No sábado, o Pe. Pedro Bodei, abordando a vivência do Batismo, disse que a preocupação da Igreja, hoje, não é correr para batizar, mas para evangelizar. E   para  abrir espaços nos corações,  daquilo que é a presença , a graça e a ação de Deus na nossa vida,   existe o caminho  da Iniciação à Vida Cristã , o Catecumenato. Esses passos  ajudam a criar consciência sobre a vivência do Batismo  e  ele citava  as  Pequenas Comunidades como um lugar onde a Pastoral Familiar  pode ajudar os irmãos  a  redescobrir  esses valores e assumir atitudes concretas.

 

Em seguida, Pe. Napoleão Iubel,  a partir  do  Doc.  107, que trata do protagonismo  dos  Leigos na Igreja e na  Sociedade,  focalizou o papel dos leigos na família. Fazendo uma leitura dirigida , fez   memória  histórica  da ação do leigo a começar  da Exortação Apostólica  Evangelii  Nuntiandi, do Papa Paulo VI. Lembrou da   Campanha da Fraternidade  1964 que tinha como lema: “Você também é Igreja” ,dos Documentos das Conferências de Medellin e  Puebla  e os  Documentos nº 62 e  nº105 da CNBB, entre outros, refletindo sobre pontos marcantes desse personagem principal chamado Leigo .  Na programação vespertina, o Professor Victor Paiva, membro da CJP – Comissão de Justiça e Paz/Castanhal, apresentou a C.F. 2018, cuja temática é  Fraternidade  e a Superação da Violência e que tem muito a nos comprometer como Famílias / Cristãos Leigos na sociedade e no mundo.

 

No domingo, após a Santa Missa, Dom Carlos, dando sequência ao encontro , falou  aos presentes  acentuando  os “ Cristãos Testemunhas, Sal da Terra e Luz do Mundo” no primeiro ambiente que é a Família. Com alguns questionamentos iniciais, perguntava: “ Como estão as nossas relações, fraternas ou conflitivas? ...  Jesus nos diz:   Vós sois, e não  tu és, para nos dizer que não é só uma presença individual, mas também a presença de uma comunidade,  e as Pequenas Comunidades de casais fazem uma grande diferença ... Temos  que ser esses sinais: sal e luz na vida das pessoas... . Jesus quer   que  sejamos cristãos que assumam o seu Batismo na comunidade ... Vejam algo que o sal e a luz têm  em comum, e  em que eles  fazem a  diferença . É como se Jesus dissesse   que  nós, seus  discípulos  fazemos a diferença. Através do sal e da luz a realidade muda. Onde se põe o  sal e onde  chega a luz, as coisas mudam. Por onde formos, as coisas deverão  ter  um sabor diferente,  terão  que aparecer de maneira diferente. Nós levamos   esse sal e essa luz e  temos que ter um comportamento, postura  de  cristãos ... uma vida   modelada  na vida de Cristo”. Ao término da conferência do nosso Bispo, sucederam-se alguns minutos de avaliação e com um  pedido especial para a observância da agenda diocesana para o ano 2018, foi encerrado o encontro.

 

 

Please reload