Missionários de Brescia, Itália, em visita à Diocese de Castanhal

 

                                                         

 

 

 

“ Desde as origens, a santa Igreja, por sua própria natureza, é impelida a espalhar por toda parte a Palavra Divina; para cumprir esse dever imprescindível, jamais deixou de solicitar de seus filhos três auxílios: orações, assistência e o dom de si mesmo. (Papa Pio XII, Carta Encíclica,Fidei Donum,abril de 1957).

 

Novembro, precisamente, no período de 18 a 25, no espírito da Igreja, em permanente estado de missão, e no propósito cristão de cooperação e de convivência de irmãos, chegaram até Castanhal, vindos  da Diocese de Brescia,Itália, um grupo de missionários: bispos, padres e leigos que, originários dessa mesma Diocese estão em missão na Itália e em vários países latino-americanos, entre eles o Brasil, Uruguai, Equador e na Tanzania,África.   

Esta visita, aqui em Castanhal,  teve o objetivo de alimentar os  laços de fraternidade. Afinal, a  Diocese de Brescia, também, é a Diocese de origem  do  nosso Bispo Dom Carlos Verzeletti e dos  padres Renato Soregarolli,  que está em  Inhangapi e  Pedro Bodei, Reitor do Seminário Diocesano, em Castanhal.

Hospedada no centro de formação da Diocese, o Cenóbio da Transfiguração, a comitiva dos participantes visitou as Paróquias dos municípios de Vigia de Nazaré,  Colares e Inhangapi. Em Castanhal, visitaram pequenas comunidades na periferia da cidade e, na Paróquia São Paulo VI, além de visitar as comunidades, presenciaram um   belo encontro com a comunidade da Igreja Matriz, onde celebraram  a Santa Missa ,na noite do dia 20.

 

Na saudação  fraternal de boas- vindas, o Bispo Dom Carlos  falou que era uma graça de Deus tê-los ali, e recordou que a data da criação da Paróquia, em 08 de dezembro de 2015, com a Igreja dedicada ao Beato Paulo VI,  era um momento importante,  que celebrava os 50 anos do término  do Concílio Vaticano II.

Dom  Pierantonio Tremolada, Bispo da Diocese de Brescia, nas suas palavras direcionadas ao povo, falou que eles se sentiam ligados a essa  Paróquia pelo nome de São Paulo VI.  Frisou o amor à Igreja desse Santo,  o olhar de um homem bom, manso e humilde  que, mesmo sendo Papa, sempre desceu até as últimas realidades e se sintonizou com as questões sociais  mais cruciais no mundo; finalizou, agradecendo a hospitalidade do Bispo Dom Carlos; disse da alegria de estar celebrando em uma Igreja   dedicada a  São Paulo VI; lembrou da história  do Santo, que nasceu e cresceu em Brescia, e expressou  a satisfação de todos os missionários brescianos que, ali, celebravam o reencontro à luz de um  autêntico Santo Bresciano, São Paulo VI, Papa.

Texto de Vânia Sagresti/Fotos de Everardo Castanhal

Please reload