III Visita Pastoral  de Dom Carlos em Santo Antônio do Tauá

 

Das periferias geográficas  às periferias existenciais

 

 

 

            Pelas estivas, aportando nos trapiches dos paranás do nordeste da Amazônia Paraense, os passos desse missionário já conhecem as pontes que constrói e que, pelo chão das estradas vão rompendo as barreiras de rios, mares e mata adentro.

            Assim, no período de 11 a 18 deste março equatorial, Dom Carlos Verzeletti, Bispo da Diocese  de Castanhal,  realizou  a  sua III Visita Pastoral em  Santo Antônio do Tauá, abrindo  novos horizontes de  “ Uma Igreja que se aproxima, escuta e ilumina as Famílias, os Jovens , as Periferias “.

            Com  determinação, espírito  evangelizador,  na tarde de domingo 17, Dom Carlos chegou à  Comunidade  São Francisco, no Km 25 da Pa-140,  recebido com   fogos e  acordes da Banda de São Raimundo Borralhos. Era aguardado pelo Pároco, Pe. Érico Silva, o Prefeito Municipal  Evandro Correa, autoridades do Legislativo  e o Povo de Deus em geral.  Dali, todos dirigiram-se à Igreja de São Francisco, onde foi celebrada a  Missa  de abertura, daquela que seria, mais do que uma visita, uma semana de intensa  convivência e de graças. Afinal,  esta semana  só acontece a cada  quatro anos e objetiva uma maior comunhão eclesial entre o Bispo e todo o Povo e,  neste ano, em especial, quando a Paróquia Santo Antônio de Lisboa celebrará em agosto  seu  jubileu de ouro , 50 anos de instalação.

 

            Em Santo Antônio, segundo  Pe. Érico, houve uma grande preparação de todos os grupos, movimentos e pastorais. Os agentes pastorais e coordenadores de comunidades saíram a campo  durante dois meses. Essas lideranças realizaram um censo em todas as comunidades; levantaram e atualizaram  dados estatísticos, como número de famílias; presenciaram, de perto, suas formas de convivência em casa e na sociedade local. Puderam constatar  dificuldades, dores, sofrimentos, mas tomaram ciência, também,  de   realidades bonitas, com  gente engajada no trabalho pastoral,  que  busca  luz na Palavra de Deus,  nos encontros de Lectio Divina, na catequese de Iniciação à Vida Cristã e outros.

            Dom Carlos, na programação da semana, presente, recebeu todos esses relatos, escutando, sempre, algo de muita contribuição   para  direcionar  sua mensagem.  Também, na programação, houve visitas a Instituições Públicas e Comunitárias. Conversou com representantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, em todo tempo, na busca incessante de despertar um olhar evangelizador, exatamente na oportunidade em que  as Políticas Públicas são o assunto  que a  Igreja do Brasil nos convoca a refletir nesta  Campanha da Fraternidade 2019.

 

 

            Outros momentos que marcaram  a III Visita Pastoral foram as  caminhadas pelas   comunidades ribeirinhas às margens do Rio Tauá;  o encontro com os Jovens e os casais;  as homenagens que todas as comunidades prestaram a sua maneira , com danças, músicas  e presentes. Foram uma sequência de manifestações carinhosas  que  tocaram sensivelmente o coração do Bispo que, em contrapartida, respondia com gestos  de carinho, como o de    servir o lanche para os presentes. 

            Pe. Érico, em singelas palavras, falou agradecido da presença de Dom Carlos na Paróquia de Santo Antônio. Acredita que a Visita Pastoral trará  sinais  de um tempo de renovação, pois, o fato do diálogo com os três poderes, frente a  diagnósticos de necessidades básicas para a população, produziu  propostas e encaminhamentos  de soluções.

 

 

 

            Dom Carlos, sintetizou: “ ... uma Igreja que celebra a Fé e a vida; uma Paróquia,  onde o Pároco, Padre Érico, desempenha uma grande missão e vive dedicadamente a acompanhar a  todos; um trabalho de conscientização da Pastoral do Dizimo;   comunidades rurais, onde a presença da Igreja, além da pastoral,   trabalha a  questão social;  de modo particular, agricultores que vivem  a responsabilidade de  manter um ambiente sem agrotóxico nos seus cultivos”.

            Foi mais a experiência de um Povo que, sem dúvida,  Dom Carlos, depois de sair do Tauá,  trará  nas suas orações e no seu coração.

 

Fontes: Estevâo Barbosa/Pastoral Litúrgica e PASCOM/Tauá

Fotos: Everardo Freitas e Vânia Sagresti

Texto: Vânia Sagresti/ PASCOM DIOCESE DE CASTANHAL  

Please reload