57ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil –um apanhado do que aconteceu

Em sua 57ª edição, a Assembleia Geral da CNBB recebeu uma dupla atenção especial: por ser ocasião da eleição para a nova presidência da conferência dos bispos e por refletir e apresentar as novas diretrizes para ação evangelizadora da Igreja no Brasil, para os anos de 2019 a 2023.

 

O padre Manoel de Oliveira Filho, membro da Comissão do Texto Central sobre as diretrizes, falou ao portal da CNBB sobre o caminho que as novas diretrizes propõem à Igreja no Brasil, citando 4 pilares que sustentam a casa, numa analogia às diretrizes: a) Palavra de Deus e a iniciação à vida cristã; O pilar do Pão que é a casa sustentada pela liturgia e sobre a espiritualidade; o pilar da Caridade que é a casa sustentada sobre o acolhimento fraterno e sobre o cuidado com as pessoas, especialmente os mais frágeis e excluídos e invisíveis; o pilar da Missão porque é impossível fazer uma experiência profunda com Deus na comunidade eclesial que não leve, inevitavelmente, à vida missionária. As diretrizes foram aprovadas na etapa final do evento.

 

Na segunda-feira foi divulgado o resultado das eleições para os principais cargos da CNBB. O novo presidente é dom Walmor Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte - MG, o primeiro vice-presidente, dom Jaime Spengler, Arcebispo de Porto Alegre – RS, e o Segundo Vice-Presidente, uma novidade a partir deste ano, dom Mário Antônio da Silva, Bispo de Roraima. Dom Mário, ainda que nascido no sul do Brasil, tem se empenhado em Roraima para uma pastoral inculturada e atenta aos desafios, como no caso da migração venezuelana que tem naquele estado uma porta de entrada. Ao ser consultado se aceitava ou não o cargo, respondeu que assumia "pela Amazônia e pelo povo brasileiro".

 

A eleição de dom Mário Antônio da Silva também tem um significado especial em vista do Sínodo para a Amazônia, que será realizado em Roma de 06 a 27 de outubro. O bispo de Roraima tem sido sempre um dos mais ativos na Rede Eclesial Pan-Amazônica – REPAM, rede que abrange o regional Norte 2 da CNBB, onde dom Carlos é bispo e tem fomentado também a divulgação do sínodo, cujo tema é “Novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”.

 

A Assembleia encerra nesta sexta-feira, dia 10, em Aparecida, onde tradicionalmente tem sido realizada. No encerramento da Assembleia, o presidente eleito deixou uma mensagem situando o “coração da CNBB” não na organização formal da Conferência, mas na “colegialidade afetiva e efetiva” e no envio de Jesus: “ide fazer discípulos”.

 

É na inspiração dessa mensagem e sob as bênçãos da padroeira do Brasil, da mãe de Deus, que dom Carlos retorna do encontro com os bispos do Brasil continuando a missão no âmbito das Visitas Pastorais: no próximo domingo o bispo estará em São Caetano de Odivelas, para iniciar mais uma semana de encontros, partilhas, ensino e aprendizado. É a evangelização impulsionando no exemplo do bispo uma Igreja apaixonada pela missão nesta diocese.

 

 

 

Please reload