11º CONGRESSO, CATEQUISTAS, AMAZÔNIA E SÍNODO

26/08/2019

No mês dedicado às vocações, a Pastoral Catequética da Diocese de Castanhal reuniu, na Catedral Santa Maria Mãe de Deus, aqueles que fazem ecoar a Palavra de Deus, em todos os cantos dessa Igreja Local: os Catequistas.

 

O XI Congresso Diocesano, que hoje contou com a presença de catequistas das 36 paróquias dos 25 municípios da diocese, trouxe como tema: “ Catequistas com Jesus: uma Igreja em missão nos caminhos da Amazônia”. Trata-se de questão relevante da atualidade, quando a Igreja das realidades amazônicas intensifica o seu preparo em vista do Sínodo para a Amazônia.

 

Uma frase, que o catequista Sílvio Queiroz, de Capanema leu, na motivação da Santa Missa, celebrada por Dom Carlos Verzeletti, soou forte: “ Catequista: porta-voz da Igreja”. Afinal, o catequista é aquele que instrui, que educa, que acompanha de forma paternal ou maternal, sistematicamente, seu catequizando, seja ele, adulto , jovem ou criança, levando-o ao encontro de comunhão com Jesus Cristo , iluminado pela Palavra de Deus.

 

Na acolhida, Dom Carlos, dando boas vindas e saudando a todos, exaltou os catequistas, a gratuidade do serviço que desempenham nas comunidades das paróquias, o carinho e a alegria com que anunciam o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, uma missão iniciada por Ele e, agora, confiada a todos nós.

 

No seguimento da manhã, proclamando o Evangelho de Lucas 13, 22-30 ,quando Jesus é indagado sobre a quantidade dos que se salvarão, Dom Carlos conduziu a uma reflexão da Palavra e disse: “ se nós escutamos a Palavra, a obedecemos, e cumprimos e fazemos acontecer, receberemos este grande dom, que é a Salvação, dom de Deus”. Com referência à porta estreita que é ainda parte narrativa do Evangelho, Dom Carlos disse, ainda: “ Jesus nos convoca a fazer todo o esforço possível, no despojamento, na nudez de tudo que é acumulo, egoísmo, subjetivismo, e a conversão para se passar por essa porta. O catequista é alguém que trabalha para colaborar com Jesus na obra da salvação , pois Ele quer salvar a todos”.

 

Com o canto: “ nos caminhos da Amazônia, uma Igreja em missão, catequistas com Jesus”, composição própria da socióloga e catequista Izabel Costa, Igarapé- Açu, o Bispo Dom Carlos conferenciou sobre o Instrumentum Laboris, do Sínodo para a Amazônia, que se traduz no grande lema: “ Amazônia, novos caminhos para a Igreja e para uma Ecologia Integral”. Inicialmente, sustentou que o tema Amazônia, para a Igreja Católica não é questão só destes dias, e fez uma retrospectiva histórica da presença da Igreja que se encarnou na realidade amazônica, com a vinda de missionários, defendendo a vida do povos nativos da região. De maneira clara falou que o Sínodo para a Amazônia, convocado pelo Papa Francisco, no dia 15 de outubro de 2017, já tinha sido um assunto tratado com os Bispos, por ocasião da sua vinda ao Brasil, durante a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, no Rio de Janeiro, quando chegou a questiona-los se estavam voltando os seus olhares para a Amazônia.

 

Em escala decrescente de tempo, nestas últimas décadas, Dom Carlos citou o Documento de Aparecida, fruto da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, em maio de 2007, cujo redator foi o Cardeal Mário Bergoglio, hoje, Papa Francisco, e citou, também, São Paulo VI que, nos anos 1973, disse: “ Cristo aponta para a Amazônia”. Fez, ainda, referência a Dom Hélder Câmara, “ um homem bom e sonhador, que já profetizava respostas para as realidades e desafios que a Igreja enfrentava para evangelizar, em regiões periféricas, como a Amazônica.

 

No período da tarde, no contexto da Carta Pastoral 2019: “ Uma Igreja que se aproxima, escuta, ilumina, as Famílias, os Jovens e as Periferias”, foram apresentados os testemunhos do casal Jorge Anizio e Rosa Maria, que acompanham famílias em Santa Izabel; do jovem Valdo de Santo Antonio do Tauá, que vem catequisando jovens, permitindo um olhar mais acentuado nas suas dificuldades periféricas, e do Irmão Leonardo, que atua em projeto social na comunidade Santa Catarina, em Castanhal.

 

Houve um momento de Adoração ao Ssmº Sacramento ,conduzido pelo Diácono Ernesto da Paróquia São Paulo VI, e nas considerações finais, Irmã Iveth Amorim, coordenadora diocesana da Pastoral da Catequese, agradeceu a sua equipe de colaboradores, e aos catequistas estendeu o convite para que estejam firmes e fortes no Congresso em 2020.

 

Texto: Vânia Sagresti/Pascom Diocese de Castanhal

 

Please reload